2 de fevereiro de 2017

Cinco coisas que talvez você não saiba sobre babywearing


Victoria Ward* compartilha cinco coisas que talvez você não saiba sobre babywearing

Muitos pais já tentaram o tal babywearing (carregar um bebê, toddler ou criança em um sling ou carregador de bebê). Um sling é frequentemente um artigo essencial para novos pais, e mais e mais casais grávidos falam sobre o babywearing nos encontros de gestantes, são direcionados a experimentar um sling pelo pediatra ou consultora de amamentação, e aparecem em um encontro de slings para experimentar e tirar dúvidas. Razão do crescente numero de consultoras de carregadores de bebês. 

Babywearing pode ser maravilhoso para os pais, que tem a chance de ter suas mãos livres e ao mesmo tempo criar vínculo com seus bebês, entender seus choros e barulhos, assim reduzindo níveis de depressão pós-natal, além de poder desfrutar da conveniência de ser capaz de ir a lugares que carrinhos não tem acesso.

Aqui estão alguns outros aspectos de babywearing que você pode não conhecer:

1. Babywearing é calmante para bebês e ajuda no seu desenvolvimento saudável



Um estudo de Esposito et al. (2013) sobre carregar bebês, descobriu que os bebês cujas mães se moviam ao transportá-los (ajudados por um sling) choravam menos, faziam menos movimentos corporais associados à instabilidade e tinham batimentos cardíacos mais lentos do que os bebês que eram mantidos por mães que simplesmente estavam sentadas.

Muitos outros estudos têm demonstrado que estar perto dos pais ajuda na regulação da temperatura dos bebês, respiração e freqüência cardíaca. Eles dormem mais profundamente e geralmente por mais tempo, passam mais tempo em um estado de alerta calmo quando acordados e fortalecem os músculos da barriga - o que exigiria que eles passam longos períodos em de bruços para se desenvolver. 

Seu sistema de equilíbrio também se desenvolve mais rapidamente, e os sintomas de cólica e refluxo são reduzidos, assim como o risco de plagiocefalia (síndrome da cabeça chata). Bebês prematuros ganham peso muito mais rápido quando eles têm contato pele-a-pele prolongada com os pais, e o estresse da separação é reduzido quando os bebês são slingados.

2. Babywearing é uma prática - não importa o produto.



No Reino Unido, temos a sorte de ter acesso a uma grande variedade de slings e carregadores. Embora a seleção mais ampla seja encontrada on-line, lojistas estão tendo um maior interesse na gama de carregadores disponíveis, e o número de carregadores bons e ergonômicos encontrados em lojas está aumentando. 

Mas os benefícios de babywearing vem por causa da prática do babywearing e não pela marca que as pessoas optam por usar. Muitas mulheres africanas usam uma toalha para carregar seus bebês no que é conhecido como um transporte de torso, onde o bebê senta-se na parte baixa das costas da mulher, amarrado por uma toalha, que passa em torno de seu corpo, enrolado na parte de cima e dobrado na parte de baixo. 

No México, um rebozo é um xale comprido que pode ser amarrado com um nó simples para fazer um carregador de um ombro só - usado para transportar crianças de recém-nascidos até 3 ou 4 anos de idade. Você pode usar um nó de deslizamento ou um par de anéis de sling (anéis de alumínio ou nylon projetado, testados para uso com slings) para transformar qualquer lenço, xale ou pedaço de tecido em um sling, ou um belo carregador para combinar com a sua roupa para uma ocasião especial.

3. Você pode fazer bom uso de um sling antes de ter um bebê



Em todo o mundo, as mulheres usam pedaços de tecido para apoio da barriga na gravidez e para ajudar durante o trabalho de parto. Mais e mais doulas, professores pré-natais, professores de yoga e parteiras estão treinando no uso de alças para trabalho e parto, e compartilhando o que aprenderam com pais gestantes.

Você sabia que você pode usar um sling para suportar a dor do peso da barriga e dor de ligamento? Ou para apertar os quadris, aliviar a dor no quadril e fazer mais espaço na pelve? Ou para dar uma massagem suave na gravidez ou durante o trabalho de parto, ou uma firme massagem pós-natal?

Levar um xale, lenço ou sling de tecido em sua mala de maternidade significa que você sempre terá algo para cobrir a si mesmo, ou como uma forma de personalizar o seu ambiente de nascimento, ou um auxílio para tornar a bola de parto ou a cadeira de nascimento mais confortável. Você pode amarrar um nó nele e pendurá-lo sobre uma porta (fechando a porta - abrindo na direção contrária), para que você possa usá-lo para inclinar-se, balançar e agachar. E você será capaz de envolver o seu bebê recém-nascido nele, usá-lo como um travesseiro ou um apoio de amamentação, e muito mais.

4. É ideal para exercício pós-natal



Carregar seu bebê em um sling ou carregador pode auxiliar a recuperação de sua força após o parto e é especialmente útil para uma boa postura pós-natal (ajudando-se a se adaptar a não ter mais o peso do bebê baixo no seu corpo). Mesmo andando com seu bebê em um sling ou carregador por um curto período de cada dia, isso vai suavemente ajudar a tonificar os seus músculos da barriga e músculo pélvico,  adicionando alguns exercícios simples de pós-natal você pode aumentar seu nível de aptidão suavemente. 

Mães em algumas áreas do Reino Unido estão tendo a chance de experimentar aulas de Sling-Yoga, uma nova forma de yoga pós-natal projetado para mães e bebês. Os bebês começam a aula em um sling, enquanto suas mães realizam alguns suaves movimentos. Durante o trabalho no chão, os bebês podem ficar em uma sling ou deitados no chão ao lado de suas mães - todos os trechos funcionam se você tem um bebê pequeno na sua frente, um maior nas costas, ou um bebê dormindo em um carrinho no tapete. As aulas terminam com um relaxamento e uma conversa.

5. Pode ser uma prática salva-vidas



No tsunami japonês de 2011, as mulheres usaram tudo o que puderam para levar seus filhos a salvo. Um workshop na European Babywearing Conference, que aconteceu em Bristol, em Julho de 2013, abrangeu babywearing de emergência e estava cheio de idéias sobre como transformar objetos do dia-a-dia em carregadores de bebês. 

Passar um lenço longo através dos braços de uma camiseta faz um carregador semelhante ao podaegi coreano e cria tiras que vão sobre os ombros do adulto e amarram sob o bumbum da criança. A camisa de um homem e um cinto pode ser usados para criar um "corpo", com os braços da camisa amarrada em torno dos ombros do adulto ou torso. Outros itens que podem ser usados ​​incluem calças de moletom, cintos ou alças de bagagem, cortinas, bandeiras ... quase tudo que você poderia imaginar!

O que eu mais amo sobre babywearing é a versatilidade dele como uma prática. Pode significar coisas diferentes para pessoas diferentes, e pode ser realizado por pais, avós e irmãos com algo tão simples como uma toalha ou tão caro como um luxuoso tecido wrap ou um carregador feito-a-mão que custou centenas de libras. E é uma prática que tem benefícios para todos os envolvidos!

* Victoria Ward é a mãe de quatro crianças, com idade entre 2 e 8 anos, e ela dirige Babywearing UK (que inclui a School of Babywearing). Após o nascimento de seu segundo filho, ela abriu uma loja de maternidade e bebê e é treinada como consultora de babywearing, professora pré-natal NCT e professora de yoga. Em 2010, ela lançou a School of Babywearing, oferecendo treinamento em babywearing e recursos gratuitos para pais e profissionais. (Atualizado no momento em que este artigo foi impresso).

Fotos do arquivo Sampa Sling por Tati Wexler